Apesar de já termos ferramentas para realizar o trabalho remoto desde o início dos anos 2000 (alguns dirão que já as possuíamos antes), a grande maioria dos gestores e donos de empresas sequer cogitava ter os colaboradores longe de seu zelo.

Afinal de contas, como eles poderiam certificar-se que o trabalho está sendo feito?

Claro que não concordo nem um pouco com o último questionamento, mas esse é um dos motivos principais para a não adoção do trabalho remoto. Isso tudo mudou em questão de semanas após o início de uma tragédia mundial em 2020: a pandemia do novo Coronavírus.

As mesmas pessoas que relutavam em fazer uma reunião que não fosse presencial, assinar um documento online, ter seus colaboradores trabalhando em casa, tiveram que se adaptar de forma brusca e forçada. E o mais curioso é que, aos trancos e barrancos, muitas empresas conseguiram manter seus níveis de produtividade estáveis ou até mesmo aumentá-los.

Não quero entrar no mérito sobre as vantagens e desvantagens do trabalho remoto. Quero mesmo, é compartilhar minha opinião sobre o que vem depois: quais seriam os próximos passos para emplacarmos de vez o trabalho remoto?

Estamos vivendo uma revolução em tempo real

O trabalho remoto está longe de ser algo novo, mas sua adoção nunca seria tão rápida e abrangente se não tivéssemos passado por estas condições extremas. É curioso notar que as maiores mudanças de paradigmas foram precedidas por conflitos mundiais ou crises sanitárias. Este tipo de conclusão é um tanto agridoce, mas é a realidade do mundo em toda sua história.

A chefia já não faz uma cara tão feia para quem propõe continuar trabalhando em casa. Os departamentos jurídicos já estão mais abertos a assinar contratos com ajuda de softwares como o DocuSign. Reunião de trabalho sem ter de viajar milhares de quilômetros? Sem problema, a videoconferência nunca foi tão usada (até demais)!

Mas tem algo que ainda não foi resolvido: por falta de experiência com esta forma de trabalho, velhos hábitos do escritório foram simplesmente copiados e transportados para o ambiente remoto.